Licença Maternidade e Salário Maternidade – o Guia Completo

A licença maternidade é direito de todas as mulheres que trabalham no Brasil e que fazem sua contribuição para a Previdência Social (INSS).

É válido para empregos com contrato oficial, serviço governamental, temporário, terceirização e trabalho autônomo ou dever de casa. 

Quem tem Direito ao Salário Maternidade

licença maternidade

O custo da licença maternidade (também conhecida como “salário maternidade”) é igual ao custo de um salário mensal no caso de uma pessoa que tenha um contrato formal ou que faça tarefas domésticas.

Mesmo donas de casa ou estudantes que não têm salário, mas que decidem pagar um plano de pensão mensal mensalmente, podem receber um salário maternidade se contribuíram para o INSS durante pelo menos 10 meses.

Nesse caso, o custo da licença maternidade é igual ao custo do salário básico da contribuição. Se uma pessoa contribui para o salário mínimo, ele recebe um salário mínimo mensal sob título de licença maternidade.

As mulheres que sofrem de aborto espontâneo ou ainda dão a luz a bebês natimortos também têm o direito a licença maternidade.

A licença também é concedida a pessoas que adotam crianças, bem como a pessoas que recebem guarda judicial para adoção.

A licença para adoção é familiar, ou seja, pode ser usada por um dos pais adotivos, mas não por ambos. A adoção pode ser realizada por pessoas solteiras, bem como casais heterossexuais ou homossexuais.

Qual o Tempo da Licença Maternidade?

O afastamento não é inferior a quatro meses ou 120 dias computados de forma corrida e no máximo seis meses ou 180 dias de calendário.

Uma licença maternidade de 180 dias aplica-se a empresas que aderiram ao programa Empresa Cidadã. Este tipo de empresa recebe um incentivo fiscal para incentivar a extensão da licença maternidade.

Veja mais sobre:  Melhor Anticoncepcional – Qual É e Como Escolher

Para garantir seis meses, um funcionário dessas empresas deve apresentar um pedido antes do final do primeiro mês depois do parto.

Os funcionários públicos federais têm direito a sair por seis meses ou 180 dias, bem como funcionários da maioria dos estados do país e municípios.

Alguns sindicatos do país também procuram negociar com as empresas para estender a seis meses de licença maternidade para os trabalhadores em seus setores.

A maneira mais garantida de descobrir se você é elegível para seis meses é obter informações do departamento de RH da sua empresa ou conversar diretamente com seu chefe, se você estiver numa pequena empresa.

Se você tiver um problema médico, você pode estender o saldo após a licença em 15 dias (com um certificado médico), mas isso será qualificado como um benefício de doença pago pelo empregador.

Após 15 dias, você deve solicitar benefícios de doença através do INSS.

Os abortos espontâneos antes da 23ª semana de gravidez dão o direito a férias de duas semanas.

As perdas após a 23ª semana são consideradas lelmente como parto, pelo que o período da casa atende aos mesmos critérios para licença maternidade (120 ou 180 dias, dependendo do tipo de empresa).

Aqueles que aceitam ou têm a custódia de filhos também têm direitos garantidos. Se dentro de um período de tempo a remissão for aceita mais de uma criança, ela não se multiplicará.

Quem paga por licença de maternidade?

No caso de mulheres com contrato oficial, a empresa paga um salário integral, que depois é transferido para a empresa pelo INSS.

Nos casos em que a empresa fornece uma extensão de dois meses da licença maternidade por 180 dias, o empregador paga todo esse salário e, em seguida, deduziu o valor total do imposto de renda.

Para as mães que trabalham por conta ou como domésticas, o pedido de licença deve ser enviado diretamente à Previdência Social, que será responsável pelos pagamentos.

Veja mais sobre:  Trombofilia – Tudo que Você Precisa Saber

As mulheres que têm mais de um vínculo empregatício têm o direito de receber o salário maternidade referente a cada trabalho.

Salário Maternidade Desempregada

salario maternidade

Sim, as mulheres desempregadas também têm direito ao pagamento de salário maternidade, desde que a última parcela no INSS tenha ocorrido 12 meses antes do nascimento ou 24 meses para aqueles que contribuíram pelo menos dez anos.

O período de “proteção da previdência social” pode ser prorrogado por mais 12 meses, se a mãe provar que ela ainda está desempregada.

Um exemplo prático. Uma mulher que foi demitida em janeiro imediatamente parou de pagar o INSS e engravidou dois meses depois, ainda pode se inscrever para pagamento de salário maternidade com o governo.

Se você não tiver pelo menos uma contribuição de 10 meses (pré-requisitos para licença maternidade), uma mulher pode obter informações numa unidade do INSS se é possível completar o pagamento para se qualificar para receber o salário maternidade.

O custo do salário será calculado de acordo com a categoria profissional à qual a pessoa pertence.

É importante lembrar que as mulheres grávidas com um contrato oficial não podem ser demitidas, mesmo que estejam em um período experimental de três meses.

Uma empresa que descarta uma mulher grávida, não sendo uma base justa, deve pagar todos os salários correspondentes ao período de licença maternidade a que ela terá direito, além de outros direitos trabalhistas.

Em caso de demissão em caso equitativo ou por iniciativa da própria mulher, ela terá direito à licença paga paga pelo governo.

Quando Posso Tirar Licença Maternidade?

A licença maternidade começa quando a mãe grávida decide, desde que o período seja de 28 dias antes do parto ou a partir da data do nascimento da criança.

Para começar a receber um salário maternidade, você deve fornecer um certificado médico ou uma certidão de nascimento da criança.

Veja mais sobre:  Sintomas da Nidação – Quais São e Quando Ocorrem?

Para proteção, é necessário observar o prazo de proteção, com observância do qual se destina a adoção objetiva, e em caso de adoção, é necessário um novo atestado de nascimento, que sai após uma decisão judicial.

Além desses documentos, as empresas geralmente também solicitam uma autorização de trabalho e um número PIS.

Para obter mais informações sobre licença de maternidade e várias categorias profissionais, acesse o site da Previdência Social e busque por “salário maternidade”.

Férias e Licença Maternidade – Posso Juntar?

Sim, você pode adicionar 30 dias de folga na licença maternidade. Para fazer isso, uma mulher deve ter o direito de sair (após um ano de trabalho) e precisa de aprovação da empresa.

Os feriados geralmente são adicionados no final da licença de maternidade.

Vale lembrar que os meses de licença de uma licença maternidade geralmente são equivalentes ao trabalho, para se qualificar para a próxima licença.

Licença Paternidade – O que Você Deve Saber

O pai da criança, em geral, tem direito à licença paternidade paga para cuidar da criança dentro de cinco dias corridos a partir da data do nascimento da criança.

Os funcionários públicos federais têm direito a uma licença de paternidade de 20 dias.

Uma licença para um empregado da empresa privada também pode ser estendida para 20 dias se a empresa fizer parte do programa Empresa Cidadã.

Para ter uma licença de 20 dias, o empregado deve candidatar-se ao empregador dentro de dois dias úteis após o nascimento ou a adoção – neste caso, o benefício é válido se a criança tiver 12 anos de idade ou menos incompleta.

É importante que, no campo dos recursos humanos, seja confirmado se existe qualquer outro requisito para se qualificar para uma licença estendida.

A licença paternidade é válida para funcionários que tenham contrato formal, que não podem realizar qualquer outra atividade paga no período de estranheza.

Compartilhe: