Câncer de Mama

O câncer de mama é causado a partir do desenvolvimento de células que crescer de forma desordenada, através da criação de um ou mais nódulos nos seios. O câncer de mama é um tumor maligno

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer, é o câncer que leva mais gente a falecer e também a forma de câncer mais comum em mulheres brasileiras. É considerada uma doença que afeta tanto a percepção da sexualidade como a imagem individual.

Devido ao fato de que não há nenhuma causa específica para esta doença, os especialistas explicam alguns fatores de risco que podem causar o desenvolvimento deste tipo de câncer. As principais indicações são:

– Ser do sexo feminino;
– Idade – mulheres com mais de 50 anos estão mais em risco;
– História familiar (entes queridos que já sofreram com a doença);
– Não ter filhos, ou ter após os 30 anos de idade;
– Alto consumo de álcool;
– Obesidade;
– Ausência de exercícios físicos;
– A menstruação: mulheres que começaram a menstruar muito cedo (antes de 12 anos) ou que tenham ido para a menopausa depois dos 55 anos de idade têm risco ligeiramente maior de ter câncer de mama;
– O tratamento com dietilestilbestrol: no passado, as mulheres grávidas tomavam este medicamento para diminuir o risco de aborto espontâneo. Mais tarde, descobriram que a droga gerava efeitos teratogênicos (causando má-formações) e cancerígenos.

Veja mais sobre:  Tricomoníase

Sintomas do Câncer de Mama

câncer de mama

No Câncer de mama, o sintoma mais típico é o de um nódulo na mama.

Outros sinais do câncer de mama são:

  • Irritação da pele ou aparecimento de irregularidades na pele, como covinhas ou franzidos, ou que fazem a pele parecer com a casca de uma laranja;
  • Dores no mamilo ou inversão dele para dentro;
  • Inflamação ou descamação do mamilo;
  • A saída de secreção pelo mamilo;
  • Inchaço e a presença de uma espécie de caroço na axila.

Diagnóstico do Câncer de Mama

Para a detecção precoce do câncer de mama o ideal é ir anualmente ao ginecologista e realizar alguns exames: avaliação clínica das mamas e a mamografia, especialmente para as mulheres acima de 40 anos.

A realização do auto-exame das mamas é a primeira avaliação que deve ser realizada pela mulher. E isso deve ser feito mensalmente, após o término do fluxo menstrual.

Exames do Câncer de Mama

Quando é descoberto um nódulo na mama por avaliação médica ou de auto-exame, o ginecologista pode recomendar os seguintes testes:

  • Mamografia-para verificar se realmente há nódulos na mama;
  • Biópsia-para dar uma olhada se o nódulo existente é benigno ou maligno;
  • A ultrassonografia da mama no caso de não ser possível diferenciar o cisto do nódulo na mamografia;
  • Ressonância magnética.

Os exames são pedidos conforme o perfil e idade da paciente. Para mulheres com menos de 40 anos, a princípio a mamografia não é sugerida.

Veja mais sobre:  Você sabe o que é nidação?

Prevenção do Câncer de Mama

Para minimizar a chance de ter câncer de mama, as mulheres devem tomar alguns cuidados ao longo da vida. A prevenção deve conter:

  • Bom plano de dieta: evitar gordura animal e concentrar-se nos vegetais, alimentos com princípios antiproliferativos, como repolho e brócolis por exemplo;
  • Realizar exercícios com regularidade;
  • Quando você tem filhos, amamentar por um período de tempo prolongado;
  • As mulheres na menopausa devem efetuar a reposição hormonal, sob a orientação de um médico.

Em mulheres que têm uma história familiar substancial para o câncer de mama e/ou ovário, é possível realizar um teste para avaliar se o paciente é portador de anomalias hereditárias que a inclinam para a doença.

Em alguns casos raros, as mulheres com um risco elevado de desenvolver câncer de mama pode pensar sobre a possibilidade de mastectomia profilática, ou seja, remover as mamas de forma cirúrgica antes do início da doençado câncer de mama.

Tratamentos do Câncer de Mama

O tratamento do câncer varia de acordo com o tipo e a área em que o nódulo se localiza. O mais típico tipos são: quimioterapia, radioterapia, hormonioterapia, a cirurgia de remoção parcial do tumor ou mastectomia (eliminação completa da mama).

É possível complementar o tratamento com os recursos terapêuticos e o apoio de um psicólogo profissional.

Vivendo com Câncer de Mama

Alguns conceitos e crenças erradas a respeito do câncer de mama assustam inúmeras mulheres, sobre o possível avanço da doença. Veja a seguir as dúvidas mais comuns sobre o tema:

  • Pesticidas nos alimentos-não existe associação entre uso de agrotóxicos e câncer de mama;
  • Fumaça- da mesma forma, não há associação comprovada entre câncer de mama e o fumo, mas como os cigarros estão relacionados a uma variedade de outros tipos de câncer (pulmão, pâncreas, bexiga, boca), problemas cardíacos e acidente vascular cerebral, o ideal é  deixar o hábito de fumar de lado;
  • O uso de antitranspirantes e utilizar sutiãs com metal – há rumores de que o uso de antitranspirantes causar câncer de mama, assim como a utilização de sutiãs com suportes metalizados. Não há nenhuma evidência de que desodorantes e sutiãs possam causar câncer de mama;
  • Próteses de Silicone – implantes de silicone formam cicatrizes nos seios e podem impedir a detecção precoce de crescimento do tumor. No entanto, não aumentam o risco de câncer de mama.
Veja mais sobre:  Exames de Laboratório
Compartilhe: